sábado, 21 de setembro de 2013

ENPModa - Encontro Nacional de Pesquisa em Moda

 

ENPModa - Encontro Nacional de Pesquisa em Moda.

Debater, convergir e divergir ideias, pensamentos, reflexões, inquietações e análises sobre o complexo fenômeno da moda em um evento científico de âmbito nacional com a comunidade que estuda a moda, assim como as conexões desta com outras áreas correlatas.
Esse é o foco central do Encontro Nacional de Pesquisa em Moda (ENPModa), que congrega os principais pesquisadores da área da moda do Brasil - e também alguns internacionais -  que têm como objeto de estudo a moda (em seus processos de criação, de produção e de consumo) e empregam sobre essa o mesmo rigor acadêmico-intelectual, celebrando-a como um tema, uma área de estudos e pesquisas na arena acadêmica do país. Mesmo em sua terceira edição, o EnpModa já se encontra consolidado com o cenário acadêmico de moda e os esforços são centralizados para a ampliação dos debates em torno das produções teóricas de professores e pesquisadores, técnicas e práticas de profissionais e de estudantes da área da moda e afins das distintas regiões do Brasil e do mundo.

Idealizado por uma Instituição de Ensino Superior Pública, o ENPModa é uma herança direta dos esforços empreendidos por professores do Curso de Design de Moda da Faculdade de Artes Visuais da Universidade Federal de Goiás (FAV-UFG), que idealizaram e realizaram, inicialmente, duas edições do "Encontro Centro-Oeste de Moda (ECOM)", nos anos de 2009 e 2010. o ENPModa é o resultado desse desafio para comprender a moda no Brasil inicialmente a partir de uma contribuição regional, mas que adquiriu proporção e impacto nacional. o ENPModa teve sua primeira edição realizada no ano de 2011 no campus da UFG e nesse ano de 2013 está em sua terceira edição e ocorrerá na UFMG.

O ENPModa tem como objetivos centrais a compreensão da moda como campo do saber, assim como a articulação da moda com outras áreas/campos do conhecimento, quer seja das ciências humanas, das exatas e/ou das biológicas, de forma que possibilite diálogos inter/trans/multidisciplinares frutíferos e enriquecedores para o fortalecimento das pesquisas sobre como esses importantes campos de estudo corroboram para a compreensão da moda, sobretudo, mapeados pelos reflexos tanto da indústria da moda como da indústria têxtil.

PÚBLICO-ALVO

Professores, pesquisadores, estudantes de cursos de pós-graduações (strictu e latu sensu), estudantes de cursos de graduações e profissionais da área da moda, das artes, da filosofia, das ciências sociais (sociologia e antropologia), da história, da psicologia, da semiótica, do jornalismo, da publicidade, da fotografia, da economia, do marketing e do design, dentre outras áreas, que tenham a moda como corpus.


COMISSÃO CIENTÍFICA

Prof. Me. Adair Marques Filho – FAV-UFG (GO)
Profa. Me. Ana Paola dos Reis – EBA-UFMG (MG)
Profa. Dra. Araguacy Filgueiras – ICA-UFC (CE)
Profa. Dra. Carla Maria Camargos de Mendonça – Universidade Fumec (MG)
Profa. Dra. Daniela Fávaro Garrossini – IdA-UnB (DF)
Profa. Dra. Francisca Dantas Mendes – EACH-USP (SP)
Profa. Dra. Francisca Raimunda Nogueira Mendes – ICA-UFC (CE)
Profa. Me. Lavinnia Seabra Gomes – FAV-UFG (GO)
Profa. Dra. Lucia Santaella – PUC-SP (SP)
Profa. Dra. Maria Alice Ximenes – Fatec Americana (SP)
Profa. Dra. Maria Silvia Barros de Held – EACH-USP (SP)
Profa. Dra. Miriam Costa Manso Moreira de Mendonça – FAV-UFG (GO)
Prof. Me. Quéfren Crillanovick – FAV-UFG (GO)
Profa. Dra. Patrícia Sant’Anna – Centro Universitário Senac São José dos Campos (SP)
Profa. Me. Rafaela Felipe Asmar – IFB (DF)
Profa. Dra. Regina Sanches – EACH-USP (SP)
Profa. Dra. Renata Pitombo – CAHL-UFRB (BA)
Profa. Dra. Rosane Preciosa – IAD-UFJF (MG)
Profa. Dra. Sandra Regina Rech – Ceart-UDESC (SC)
Profa. Me. Syomara Duarte – ICA-UFC (CE)
Profa. Dra. Suzana Avelar – EACH-USP (SP)
Prof. Me. Tarcisio D’Almeida – EBA-UFMG (MG)

 COMISSÃO ORGANIZADORA


Prof. Me. Tarcisio D’Almeida – EBA-UFMG (MG) Coordenador Geral
e-mail: tarcisiodalmeida@eba.ufmg.br
Profa. Me. Ana Paola dos Reis – EBA-UFMG (MG)
e-mail: paolareis@eba.ufmg.br
Profa. Esp. Juliana Barbosa – EBA-UFMG (MG)
e-mail: julianawinck@eba.ufmg.br
Profa. Me. Mariana Morais Pompermayer - EBA-UFMG (MG)
e-mail: mpompermayer@eba.ufmg.br

REALIZAÇÃO

Curso de Design de Moda da Escola de Belas Artes da Universidade Federal de Minas Gerais

LOCALIZAÇÃO

Prédio do CAD2 (Centro de Atividades Didáticas 2 – Ciências Humanas) da UFMG
Av. Antonio Carlos, 6627 – Pampulha – Belo Horizonte – MG



terça-feira, 27 de agosto de 2013

VESTIDO COM APLICAÇÃO DE LASTEX






Este modelo de vestido é extremamente simples de executar. Sua complexidade aqui está nos acabamentos que foram utilizados: bainha de lenço, costura francesa e forro.
A quantidade de tecido utilizada é calculada de acordo com a largura das camadas e seu franzido. Neste modelo, foi utilizado um franzido leve (1 altura do vestido + 1/3 + acabamentos de costura e bainha).
O procedimento para o corte será explicado mais a frente.


1. CORTE DO TECIDO:

Dobre o tecido no sentido do fio (ourela com ourela) de forma que ele fique perfeitamente acomodado.


Note que o tecido está totalmente irregular na ponta (este corte de tecido trata-se de um retalho, porém, na maioria das vezes, quando o tecido é "rasgado" ao invés de cortado com a tesoura, ele  acaba por ficar irregular da mesma maneira)


Dobre mais uma vez o tecido no sentido do fio para facilitar no momento do acerto.


Certifique-se de que a dobra e as ourelas estejam alinhadas corretamente.


Com o auxílio do esquadro, acerte o tecido considerando a menor parte.


Verifique com cuidado.


Depois de riscar, prenda as partes com o auxílio do alfinete.


Para calcular as partes do vestido, proceda da seguinte forma:
  • Defina o comprimento, medindo da altura do busto até o comprimento desejado e divida por 3. 
  • Para cada camada de tecido, utilize toda a largura do tecido e acrescente 50cm para a segunda parte e mais 1mt pra a terceira e última parte (a segunda e terceira camada terão consequentemente uma emenda, no momento do encaixe das partes faça com que estas fiquem centralizadas na parte das costas do vestido).

Considerando que meu vestido terá as camadas com 40cm cada (lembre-se de acrescentar 2cm de costura), teremos os seguintes cortes de tecido:

  • 1 retângulo de 42cm X 1,40cm de largura;
  • 1 retângulo de 42cm X 1,90cm de largura (com emenda);
  • 1 retângulo de 42cm X 2,40cm de largura (com emenda);
A segunda e terceira camadas, receberão um acréscimo de tecido, já que a largura normal é de 1,40. Portanto, a parte que aparece cortada a mais nesta imagem (4 partes de tecido iguais) será usada para dar o acréscimo necessário às partes 2 e 3. 
ps.: os valores não são exatos, pois a largura dos tecidos costumam variar, no meu caso ele tinha um pouco mais de 1,40cm. Aproveitei o tecido da melhor forma, afim de obter um leve franzido.

Este tecido que estou utilizando (cambraia de algodão)  possui uma leve transparência, por isso utilizei um forro também de cambraia, que terá a mesma largura da primeira camada (1,40cm) e 1mt de comprimento. O tecido do forro não aparece no corte.

O FORRO É DESNECESSÁRIO CASO SEU TECIDO NÃO SEJA TRANSPARENTE.


Você pode cortar as ourelas ou não, eu particularmente gosto de eliminá-las, tornando o trabalho mais "limpo".




2. BAINHA DE LENÇO:

Em uma das partes de tecido, faça uma bainha de lenço na parte correspondente ao decote da seguinte forma:
Dobre aproximadamente 1cm para dentro e faça um pesponto o mais fino possível.



Faça a mesma bainha no decote do forro.



Detalhe da costura:



Detalhe da costura no tecido principal e no forro:



Apare o excesso do tecido bem rente à costura. Tenha cuidado para não cortar a própria costura (uma tesoura média é o ideal para este corte)



Aspecto da costura aparada:




Revire esta costura para dentro e passe mais um pesponto exatamente em cima da linha de costura feita anteriormente:



Bainha de lenço finalizada em ambas as partes:


Una as partes de tecido (principal e forro) com um alinhavo.


Aspecto do alinhavo pronto:



Continue alinhavando a parte correspondente ao busto (que receberá o lastex) com pontos de alinhavo diagonal:




3. APLICAÇÃO DE LASTEX:

Este é o lastex que utilizei (um carretel foi o suficiente):


Para aplicar lastex, é necessário soltar um pouco a tensão da linha na caixa de bobina. É aconselhável ter uma caixa específica para o lastex, pois encontrar o ponto exato da tensão demanda um pouco de tempo e paciência. Ter uma caixa já ajustada para o lastex é extremamente prático para costuras futuras.


O parafuso que deve ser ajustado é o menor ou o segundo em ambas as caixas:



Encha a bobina com o lastex normalmente, e logo depois faça testes em retalhos para verificar o ajuste do ponto e o franzido.
Comece a costura do vestido com 1cm de distância da margem.


Vire e retorne mantendo a distância de aproximadamente 1cm entre as costuras de forma contínua, sem arrematar:


A costura é contínua, porém evite emendas no meio do trabalho. Caso isto ocorra, desmanche até a margem e arremate.


Faça o número de carreiras necessário para formar a parte superior do vestido, que pode cobrir ou não o busto (fica a seu critério).
No meu caso, ela tem aproximadamente 10 cm, e fica acima do busto.

ps.: na foto abaixo, o vestido continua aberto nas costas, está fixo no manequim com alfinetes para se ter uma ideia da proporção do franzido.




4. UNIÃO DAS COSTAS E COSTURA FRANCESA

Una o centro costas do vestido com alfinetes:


Apare as rebarbas acertando as pontas:


Costure com 1cm de largura e aproximadamente 20cm de comprimento:


Abra esta costura no ferro:


Dê um pique no final da costura:


Aspecto das partes com o pique:


Revire a parte do tecido estampado para o lado direito do vestido:


Faça uma costura francesa para o fechamento do vestido da seguinte forma:
Primeiramente, costure pelo lado direito com 0,5cm:


Abra esta costura no ferro, e leve-a para o avesso. Alinhave e passe mais uma costura de 0,5cm. 
Certifique-se de esta última costura coincidirá com a costura do fechamento anterior, para que não haja diferença do lado direito do vestido.


Faça o mesmo procedimento para o fechamento do forro do vestido, de forma que as costuras fiquem internas.
Aspecto do lado direito do vestido:


Aspecto do lado do avesso do vestido:


Faça o acabamento das costuras com aplicação de viés, ou de qualquer outra forma que julgar conveniente.


Vista o manequim (ou você mesma) e observe o decote do tecido nas costas:


Repare que com a caída do decote nas costas, há um acréscimo leve no comprimento traseiro:


Marque com alfinetes a diferença que aparece da frente até as costas:


Retire do manequim, marque e trace esta diferença no tecido com o auxílio da régua curva alfaiate (tanto no tecido de fora, quanto no forro).

Veja a posição da régua curva:


Posição da régua curva:


Traçado no tecido do vestido:


Lembre-se sempre de prender com alfinetes ante de cortar:


Para unir o restante do vestido, feche as costuras nas camadas 2 e 3, também com costura francesa: Una as partes avesso com avesso (as partes do direito para fora) com 0,5cm de costura ou a largura do pé calcador.


Costura com 0,5cm de largura.


Abra a costura no ferro, dobre a costura e pelo lado do avesso, faça mais uma costura com 0,5cm (engolindo a primeira costura).


Aspecto do tecido no lado do avesso após a segunda  costura:


Aspecto do tecido pelo lado direito:



5. FRANZIDO:

Para franzir as camadas, aumente o ponto entre 4 e 5.


Faça duas costuras paralelas com distância de 0,5cm entre elas. Não dê retrocesso (arremate) nas costuras.


Para facilitar o encaixe dos tecidos nas partes que se seguem, divida cada uma delas em quatro partes e sinalize com um pique (faça o mesmo na parte que receberá esta camada de tecido).


Depois de dados os piques, puxe as linhas que correspondem às linhas da caixa de bobina (linha debaixo da costura) de forma que coincida com o valor do corpo do vestido.


Assim que encontrar a medida, puxe cuidadosamente todas as linhas para o avesso:


Amarre estas linhas para garantir que o franzido não será desfeito. Distribua-o harmoniosamente.


Encaixe esta camada no corpo do vestido, fazendo coincidir os piques. Faça esta união também com costura francesa (primeira costura pelo lado externo do vestido).


Alinhave para facilitar o trabalho. Corte os excessos e faça a segunda costura pelo lado interno.


Repita a operação com a terceira e última camada. Faça uma bainha de lenço para finalizar o vestido, tanto no tecido do forro quanto no estampado.

VESTIDO FINALIZADO